Novas Perspectivas

image_pdfimage_print

Depois de um ano como o de 2016, creio que seja o que todos precisamos: novas perspectivas. Dá medo sim, fica difícil pensar num ano novo repleto de coisas boas, depois de um ano como o que todos tivemos. Tempos difíceis, de muitas dores e sofrimentos, a humanidade encontra-se perdida e uma gigantesca crise ética, moral e humanitária assola o Planeta e, para termos plena certeza disso, basta olharmos para os lados e ver quantos sofrem, sofrem muito, muito mais do que aquilo que achamos que sofremos. Isso não serve de consolo, mas nos faz refletir.

 Diante disso, fica complicado encontrar forças e esperanças, parece que entramos num ciclo de dor que não vai acabar tão cedo, mas mudar nossa perspectiva pode ser um bom começo.

Dê um tempo, se permita ter um momento consigo mesmo, desligue-se do mundo, dos noticiários, das redes sociais, desligue-se até de pessoas se for o caso, mas busque um tempo seu, coloque sua própria vida numa nova perspectiva, analise, sem excessos de sentimentos, tudo o que lhe aconteceu de bom ou de ruim e busque identificar as causas disso, novamente, sem paixões, pois elas nos tiram a razão.

Esse período do ano é propício para isso, é o fim de um ciclo e, como em todo fim, é sempre importante fazer uma análise. Saímos mais fortalecidos do que quando entramos? Aprendemos algo novo? Melhoramos em alguma coisa? Questione-se, busque respostas e, quando encontrar, não tenha medo dessas respostas. Não se julgue demasiadamente, perdoe-se. Lembre-se, o mundo já nos julga o suficiente e ao menos você, seja generoso consigo mesmo, não a generosidade permissiva, mas a generosidade que permite errar e, do erro, buscar novos caminhos.

Não busque culpados, encontre novas formas de fazer o que não deu certo, ou então, simplesmente desista, afinal, também precisamos entender que certas coisas simplesmente não vão acontecer e que isso não depende somente do quanto queiramos que isso aconteça. Às vezes, deixar de lado é a solução, talvez a única solução possível.

Estou aqui lembrando do Salmo 23 e começo a perceber que talvez eu tenha passado mais da metade da minha vida sem entendê-lo. Nosso Planeta é o próprio vale da sombra da morte, mas se mantivermos nosso equilíbrio, nossa fé interior e, nesse ponto, você dá o nome que quiser a ela, nenhum mal nos atingirá. Nosso atual momento reflete bem isso: misérias, fome, guerras, mortes, dores e sofrimentos assolam a humanidade, notícias que nos atormentam a alma chegam todos os dias e como sobreviver a tudo isso? Não é questão de se tornar frio e indiferente, mas sim, de manter o equilíbrio interno, de não se deixar abater tanto, de não temer mal algum.

Que nesses dias difíceis possamos começar a emanar luz, amor e compaixão. Não dá para resolvermos, sozinhos, os problemas do mundo, mas se pudermos fazer o mundo de uma única pessoa diferente, já teremos feito uma grande transformação. Não precisamos de super-heróis, precisamos de pessoas normais, cheias de defeitos, chatices, erros também, mas que nem por isso deixam de se importar com o próximo.

Sempre estamos esperando que algo nos aconteça, para aí sim, ajudar o outro. Precisamos receber um dinheiro extra, ganhar na loteria, mudar de emprego, ser promovido e não acho nada disso errado, mas vamos lembrar que muitos não têm sequer o comer, não tem um abraço, uma palavra amiga, um olhar de compaixão e isso não nos custa nada.

O ano de 2017 vai começar e, junto com ele, uma série de problemas que estaremos arrastando de 2016, assim como já trouxemos para 2016, muitos problemas de anos anteriores. Isso sempre aconteceu e sempre acontecerá e o que pode fazer a diferença é a maneira como encaramos isso, a esperança que nutrimos e o desejo de realmente fazer a diferença.

Nessa vida tudo é uma questão de perspectiva e nós é que escolhemos de que forma vamos encarar os fatos. Fuga? Talvez. Mas fica uma pergunta: vale a pena ser muito lúcido num mundo tão insano? Vamos olhar um pouco mais o mundo com a pureza e a inocência das crianças, pode ser que isso nos faça um pouco mais felizes.

Boas festas! Bom recomeço!

 

Comente com o Facebook
Facebooktwittergoogle_pluslinkedin
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinyoutube
Social tagging:

Comments are closed.