Trump e o Muro

image_pdfimage_print

Se estou preocupado com o muro que o Trump quer construir? Com o muro físico, nem um pouco, acho que ele será tão eficiente quanto a proteção de qualquer casa, ou seja, é só mais uma medida inútil, assim como os muros, cercas elétricas e sistemas de vigilância, que só servem enquanto o ladrão não tem interesse na nossa casa, pois quando resolvem roubar, nada segura.

O que me chama a atenção nesse muro é muito mais seu significado psicológico e comportamental, do que o fato real. Trump é egocêntrico, psicopata, narcisista e o que mais você quiser chamá-lo, mas o fato é que ele está fazendo o que a sociedade e, principalmente, seus eleitores o apoiam a fazer.

Trump encarna e reflete o comportamento de muitos de nós. O simbolismo da construção desse muro escancara nossa postura intolerante e preconceituosa, mesquinha e doente e, por que não, assustada e medrosa, afinal, por qual outro motivo nos escondemos atrás de muros e fortalezas?

Posso estar completamente enganado e falando a maior besteira do mundo, mas vejo Trump como um adolescente rebelde, em fase de autoafirmação, que precisa bater o pé e se firmar diante dos seus colegas de turma. Todos os recursos que ele utiliza demonstram essa necessidade de autoafirmação: ataques a tudo e a todos, caretas patéticas, falas enérgicas, que tentam mais convencer a ele mesmo do que aos que o cercam, mentiras como forma de se esconder os próprios erros. Enfim, não sou psicólogo para traçar perfil e nem é esse o objetivo desse meu texto, portanto, voltando ao ponto central: Trump reflete o estágio imaturo pelo qual a humanidade, como um todo, está vivendo.

Quando construímos um muro alto, colocamos cerca elétrica e enchemos de câmeras de vigilância, estamos fazendo a mesma coisa, buscando uma ilusória sensação de segurança, que comprovadamente, não temos. Trump está fazendo a mesma coisa, a diferença é que ele está cercando um país. Meu questionamento: se não funciona com uma casa, quanto menos com uma nação.

Queremos achar soluções simplistas para problemas complexos. Resolver o problema da imigração não é tarefa que se faça por uma canetada, por um muro, afinal, estamos falando de vidas e não de caixas de mercadoria, que se refuga a entrega e manda de volta ao fornecedor. 

Trump pode ser imaturo sim, nasceu num berço de ouro, sempre teve empregados ao seu dispor para limpar o chão por onde ia pisando, mas não estou preocupado com isso, preocupa-me quando ele acha que o resto do mundo é tão somente mais uma empresa sua, que líderes de outros países são seus empregados e que basta um memorando para definir qualquer coisa. Isso é extremamente imaturo, mas pior do que a imaturidade do Trump é a imaturidade de uma sociedade que o apoia, pois mais uma vez, ele só está fazendo isso porque está encontrando suporte, por mais que ele diga que não, ele é político e, como todo bom político, age de acordo com a maré, que nesse caso, está para peixe (ou seus delírios).

Você acha que ele está certo? Novamente, posso estar completamente enganado, mas vamos fazer uma pequena analogia. Imagine você se trancando dentro de casa, vivendo só com o que produz, sem poder comprar nada, afinal, você em primeiro lugar. Vai funcionar? A analogia pode ser simplista, eu sei, mas em escalas proporcionais, é isso.

A situação é tão surreal que chega a ser difícil escrever alguma coisa, mas imagine que seu vizinho resolveu construir um muro, porque achou que seria importante para protege-lo e para que você não pudesse mais, sequer, olhar para o seu vizinho, mas você iria pagar essa construção.

Voltando ao simbolismo do ato, Trump encarna o egoísmo e o egocentrismo que vemos na sociedade, todos os dias, com as pessoas se importando cada vez menos com os outros. O problema vai ser o dia em que possamos estar do outro lado, precisando de ajuda, e o outro nos tratar da mesma forma. Pense nisso.

Em 1989 o mundo comemorou a queda do muro de Berlim e hoje, vinte e oito anos depois, aplaude a construção de outro. Minha pergunta de sempre: em qual momento nos perdemos de tal forma?

Música:  Another Brick In The Wall – Pink Floyd 

Comente com o Facebook
Facebooktwittergoogle_pluslinkedin
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinyoutube
Social tagging: > > > > >

Comments are closed.