Alguns esclarecimentos

Facebooktwitter
image_pdfimage_print

Vitor era um jovem típico da sua geração, sua principal ocupação era estudar, atividade essa que lhe ocupava praticamente doze horas por dia, mas isso não era um problema, pelo contrário, era uma das atividades que ele mais gostava de fazer. As outras vinte e quatro horas do dia eram compostas de atividades culturais, físicas, um tempo para meditação, conversa com amigos e cerca de quatro horas para o sono, que era o período indicado pelos profissionais da saúde, nessa fase em que ele se encontrava, da adolescência. À medida que as pessoas vão crescendo, essa necessidade diminuía para algo em torno de duas horas, o suficiente para o reequilíbrio orgânico e para que  as atividades cerebrais se mantivessem em perfeita harmonia.

A expectativa de vida humana passou a ser de aproximadamente 220 anos, pois ao longo dos séculos houve uma alteração natural na composição física das pessoas, a estrutura genética foi  completamente modificada e, com isso, toda a rotina de vida também mudou. As doenças praticamente foram erradicadas, pois o homem aprendeu que a única fonte de todas as doenças estava em sua própria mente e, assim que tomou essa consciência, nenhum medicamento foi mais necessário. As atividades médicas passaram a cuidar essencialmente da saúde mental, o ser humano desenvolveu sua capacidade cerebral, comparativamente aos seus ancestrais, algo em torno de 500%. Com isso, passou a dominar técnicas impensáveis aos humanos que viveram no período das Trevas.

Com a evolução da estrutura genética e cerebral, as funções orgânicas também sofreram profundas modificações, o próprio corpo humano passou a ser constituído de uma matéria muito mais resistente e, ao mesmo tempo, sutil, que já não é mais suscetível a mudanças climáticas, que praticamente não existem mais. A maior preocupação do ser humano passou a ser o trabalho essencialmente intelectual, ou seja, a busca incansável pelo seu aprimoramento. As atividades rotineiras foram totalmente substituídas pela automação e os robôs passaram a executar todas as tarefas desnecessárias ao ser humano, como o trabalho mecânico e rotinas do dia-a-dia.

As pessoas não morrem mais por esgotamento do corpo físico, mas sim, porque atingem um nível tão expressivo de conhecimento e evolução, que sabem que já não podem mais continuar no planeta Terra, mas isso, de longe, deixou de ser algo doloroso, conforme se observa em relatos históricos das antigas civilizações. Aliás, hoje ninguém mais usa o termo morte, pois ele não tem sentido algum. O termo utilizado é transição, que é entendido como o estágio em que a pessoa sabe que precisa seguir seu caminho rumo a um progresso ainda maior e então, transita para outras dimensões, onde seguirá sua vida de busca pelo conhecimento e ajudando aos que ainda continuam no planeta Terra, trazendo novos conhecimentos, ajudando a todos que ainda nele se encontram. Para fazer essa transição, não basta querer, mas sim, estar preparado.

O conceito de tempo passou a ser muito relativo, pois com as mudanças climáticas e da própria estrutura física e geológica do planeta Terra, os movimentos de rotação e translação também foram alterados. Os dias passaram a ter trinta e seis horas, mas também não seguem mais o que acontecia no passado, onde havia períodos escuros, conhecidos como noite, e períodos claros, conhecidos como dia. Atualmente, os dias seguem um ciclo constante, com uma claridade não excessiva, mas também, sem escuridão e a temperatura é sempre estável, em torno dos 20ºC. Não existem mais os ciclos chamados de estações, que se caracterizavam por períodos acentuados, onde ou se fazia muito frio ou muito calor, aliás, esses ciclos já começaram a sofrer mudanças ainda no período das Trevas, por volta do ano 2000 e foi sendo modificado, gradativamente, ao longo dos últimos séculos, até chegar ao que temos hoje.

Atualmente, principalmente para os mais jovens, fica difícil entender como viviam seus ancestrais, pois muitos conceitos já não existem há séculos e não há nada comparativo para o entendimento. A alternativa é recorrer aos simuladores tridimensionais, que reproduzem as condições humanas da época e facilitam o estudo das novas gerações. Essas simulações servem para que a atual geração entenda o processo de evolução da humanidade, possa perceber as falhas cometidas por seus antepassados e, principalmente, para que aprendam com essas falhas e nunca mais voltem a errar no mesmo ponto.

Ao longo da nossa narrativa, vários outros pontos serão abordados, mas essa contextualização é importante para que você possa entender as diferenças entre a atual geração e as gerações passadas, do contrário, alguns trechos poderiam parecer muito estranhos e sem sentido.

 

 O Primeiro Encontro – Religião

 

clube_autores_compre

Se você gostou da história e quiser contribuir com o autor, faça sua doação pelo botão do PagSeguro, logo abaixo.

Toda doação é bem vinda e agradeço de coração!


Comente com o Facebook
Facebooktwitter

Leave a Reply